Investimentos em imóveis

8 erros que você não pode cometer ao comprar imóvel na praia

8 Erros que você não pode cometer ao comprar imovel na praia

Muitas pessoas trabalham a vida inteira juntando dinheiro para realizar o sonho da propriedade na praia e passar as férias de verão curtindo bons momentos com a família. Porém, sabemos que comprar imóvel não é uma coisa simples, e envolve não apenas um alto investimento como também diversas decisões importantes.

Portanto, para não errar nesse momento é preciso muita calma e paciência. Antes de efetivar uma proposta, deve-se fazer uma excelente análise da casa ou do apartamento, assim como das suas reais possibilidades financeiras e das expectativas que você e seus parentes têm com essa aquisição.

Quer aprender como fazer isso? Então continue lendo e confira os 8 erros que você não pode cometer ao comprar imóvel na praia!

1. Não verificar a procedência do corretor de imóveis

O primeiro dos erros a se evitar ao comprar um imóvel na praia é justamente o de confiar em qualquer pessoa.

Quando bem escolhidos, o corretor e a imobiliária serão fundamentais para que todo esse processo dê certo, desde a escolha da unidade, passando pela negociação, até a finalização dos trâmites legais. Sem dúvida, é um processo que não é nada simples, mas com a ajuda de profissionais qualificados, você terá toda a tranquilidade e segurança.

Mas é preciso estar atento, pois os golpes do setor imobiliário estão cada vez mais comuns. Então, para que isso não aconteça com você, procure lidar apenas com empresas idôneas. Busque referências de familiares, conhecidos e também na internet.

Além disso, peça o número do CRECI (o Conselho Regional de Corretores de Imóveis do seu estado) tanto do corretor como da imobiliária para conferir se estão devidamente registrados. Com essas atitudes simples, você reduz ao máximo os riscos de problemas.

2. Desconsiderar os custos de manutenção

Sabemos que qualquer imóvel tem seus custos de manutenção, mas é preciso considerar que as propriedades que ficam na beira do mar podem apresentar uma necessidade mais frequente de manutenção e reparos.

A maresia pode encurtar consideravelmente a vida útil de diversos utensílios e eletrodomésticos, especialmente se possuírem componentes metálicos sem tratamento adequado. Além disso, é normal que os proprietários fiquem semanas ou até meses sem utilizar o imóvel, o que eventualmente, acaba fazendo com que danos elétricos e hidráulicos surjam mais rapidamente.

Invariavelmente, todos esses gastos precisam entrar na conta do seu orçamento doméstico para que você não seja surpreendido, depois de fazer uma aquisição.

3. Não checar se o imóvel pode ser vendido

Existem algumas situações em que o proprietário do imóvel não pode vendê-lo, e elas costumam acontecer mais frequentemente em casas ou apartamentos de veraneio.

Isso ocorre porque muitas pessoas não se preocupam tanto em regularizar essas propriedades, e acabam “empurrando com a barriga” problemas como atrasos de taxas, irregularidades com o município ou mesmo a finalização de inventários e heranças.

Por isso, antes de fechar o negócio, vá até o Cartório de Registro de Imóveis da cidade e solicite uma matrícula atualizada com a certidão de ônus da casa ou apartamento. E utilize também a internet a seu favor: faça uma pesquisa com o nome do atual dono para saber se ele está envolvido em pendências ou irregularidades com a justiça.

4. Esquecer das taxas e impostos

De fato, a geração de patrimônio é um dos pontos positivos de se comprar imóvel. Porém, é preciso considerar que uma casa ou apartamento também possui taxas e impostos para o proprietário.

Muitas pessoas, erroneamente, pensam somente no preço de venda e se apertam para pagá-lo, se esquecendo de que, depois, terão de arcar com as outras despesas. Aliás, especialmente se imóvel ficar em um bairro nobre ou em um balneário muito valorizado, o IPTU pode ser mais alto do que você pensava.

Por outro lado, se você der preferência para prédios ou empreendimentos residenciais com grandes áreas de lazer e muitas facilidades, o valor da taxa de condomínio pode ser bastante elevado. Então, avalie sempre essas variáveis antes de fazer uma proposta.

5. Não visitar o imóvel

Por incrível que pareça, muitas pessoas acabam comprando um imóvel na praia sem visitá-lo, ou indo apenas uma vez até o local. Isso ocorre porque o normal é que esse tipo de propriedade fique em outra cidade e, com isso, é preciso despender um tempo grande para chegar até a região.

No entanto, saiba que esse é um tremendo erro. Somente ao vivo você poderá observar detalhes importantes e descobrir se a unidade efetivamente atenderá às suas necessidades.

É fundamental, por exemplo, analisar se há muito barulho de carros, se a incidência de sol ocorre mais de manhã ou à tarde, se a vizinhança é boa, se há coleta de lixo, entre outros itens importantes. Não abra mão disso.

6. Pensar apenas no presente

Não dá para negar: ter uma casa ou apartamento na praia é mesmo sensacional! Afinal, quem não gosta de poder fugir da turbulência das grandes cidades e sentir aquela brisa de mar ou ouvir o barulho das ondas?

Mas, por isso mesmo, é muito comum que as pessoas comprem a residência na empolgação e acabem não pensando no impacto que essa aquisição trará futuramente.

Lembre-se: uma unidade que é perfeita para sua família no presente pode ser inadequada em poucos anos. Se você tem filhos pequenos, por exemplo, é preciso considerar que eles gostarão de espaço e privacidade quando se tornarem adolescentes.

É claro que estamos falando de um imóvel de praia e que você poderá vendê-lo a qualquer momento, para comprar outro mais adequado. De qualquer forma, é sempre bom pensar um pouco à frente.

7. Não pesquisar sobre a região

Mesmo que você conte com uma boa imobiliária e um bom corretor auxiliando em todo o processo de compra, é interessante perguntar sobre o preço do metro quadrado da região onde as casas ou apartamentos que você busca estão inseridos. Isso permite ter mais certeza do negócio e traz também mais tranquilidade para realizar a transação.

Outro fator interessante é que você pode investir em bairros ou cidades que estão em crescimento. Um balneário bonito e pouco explorado nos dias de hoje, por exemplo, pode ter uma excelente valorização imobiliária em alguns anos, aumentando naturalmente o seu patrimônio.

8. Deixar de analisar o contrato

Por fim, não se esquecer de que analisar adequadamente o contrato é uma atitude essencial na hora de comprar imóvel.

Você jamais deve assinar nenhum acordo sem compreender perfeitamente o conteúdo de cada alínea ou termo aditivo. Então, leia minuciosamente toda a papelada e não hesite em tirar suas dúvidas com o corretor.

Enfim, esses são os erros que você não pode cometer ao comprar imóveis na praia! E aí, gostou do conteúdo? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de mais dicas como essas!

Sobre o autor

Imobiliária Shopping Imóveis

Deixar comentário.